segunda-feira, 26 de julho de 2010

Monte Belo - localidade "esquecida" na região de São José do Rio Preto.

Túmulo no cemitério de Monte Belo. Foto: Alexandre de Freitas (2008).
“A cidade é um mundo que o homem constrói para si próprio. É um estranho fenômeno de imprevisíveis conseqüências [...] Wolf Schneider.
A formação de cidades na região de São José do Rio Preto-SP, foi promovida, principalmente, pela lógica da expansão da cafeicultura que trouxe para região os trilhos da Estrada de Ferro Araraquarense.
Uma das vias para o surgimento de cidades, é a evolução de bairro rural, para distrito policial, distrito de paz e por fim, muitos desses distritos através de um plebiscito local tornam-se municípios. Esse foi o processo que ocorreu com a própria cidade sede da região, São José do Rio Preto. Quando essa localidade tornou-se município, em 1894, passou a ter seus distritos de Paz.
Na Encyclopedia e Diccionario Internacional de 1905, constata-se a primeira referência aos distritos de Paz e aos distritos policiais de Rio Preto. Eram distritos de Paz: Tanabi, Ibirá, Avanhandava, Vila Adolpho, Itapirema e Itapura. Os distritos policiais eram os seguintes: Guanabara, Monte Belo, Piassava, São Domingos do Cerradinho, São Sebastião da Cachoeira, Serradão e Três Córregos (apud ARANTES, Lelé., 2006. p.39).
Muitas dessas localidades tornaram importantes cidades. Vila Adolpho, por exemplo, hoje é Catanduva. Cidade de aproximadamente 120 mil habitantes. Outras localidades sucumbiram e caíram no esquecimento. O distrito de Itapirema praticamente sumiu do mapa, há alguns túmulos em ruínas dentro de uma fazenda e mais nada. Monte Belo possui apenas algumas casas num quadrilátero, um bar, uma pequena capelinha e um salão de festas. É bairro rural de Nova Aliança e dista dessa aproximadamente 25 quilômetros.
Ascensão e decadência de Monte Belo.Em 1923, o distrito de Itapirema foi transferido para Monte Belo, nos primeiros anos da década de 1920 a localidade desfrutou de um relativo desenvolvimento. Em 1927, Monte Belo tinha escola com 37 alunos e consta na mesma obra consultada (ABRUNHOSA, Abílio Cavalheiro e LAURITO, Paulo. 1927-1229) que a localidade se destacava pelos bons solos e pela indústria pastoril.
Moradores locais têm a tradição oral de afirmar que Monte Belo era para ser Rio Preto. Relatam que ali já teve mercearias, borracharias, máquinas de beneficiar arroz; dentre outros estabelecimentos comerciais.
A decadência da região foi provocada pela malária. Dizem, e algumas fontes consultadas comprovam, que a epidemia foi tão intensa que as pessoas vendiam as propriedades a qualquer preço para sair dali.
O cemitério de Monte Belo comprova, em partes, o efêmero progresso que a localidade atingiu. Há várias sepulturas. Muitas delas requintadas e ornadas com mármores, que apesar do estado de ruínas comprovam a opulência da qual que o antigo distrito desfrutou.
Capela de Monte Belo com coreto ao lado. Foto: Alexandre de Freitas (2008) Ao fundo estabelecimento comercial em funcionamento. À direita, antigo prédio que abrigava um estabelecimento comercial, hoje desativado. Foto: Alexandre de Freitas (2008).
A imagem revela um antigo prédio comercial hoje transformado em moradia. Habitantes da região afirmam, veemente, que hávia vários desses estabelecimentos em Monte Belo. Muitos foram transformados em moradias, outros foram ao chão.

Referências:ABRUNHOSA, Abílio Cavalheiro e LAURITO, Paulo. Álbum Illustrado da Comarca de Rio Preto. Duprat Mayença: 1927-1929. p.236, 936-938.
ARANTES, Lelê. Dicionário Rio-Pretense, a história de Rio Preto de A a Z. 2 ed. São José do Rio Preto: Casa do Livro,2001. pp. 182-183.
Fantasma do abandono cerca velhos vilarejos da região. Diário da Região. São José do Rio Preto, 13 Ago. Suplemento especial.
ARANTES, Lelé. Quem faz história em São José do Rio Preto. São José do Rio Preto: THS, 2006.
Sugestões de leituras:
Romance "O Distrito".

2 comentários:

Anônimo disse...

O pessoal é simples, parece viver dois mundos: o próprio e o que assistem pela passagem dos turistas, dia e noite pela rua principal, vários frequentando os quiosques da praça, merciarias, dois "shopings" e outros, ou seguindo para cidades adiante.
Tem tradição e rica história,dado que remanescem de uma população muito maior e desenvolvida, no entanto, diminuída pela fuga da febre amarela epidemica de décadas anteriores.
Tem o seu valor, lugar digno e admirado, atraindo simpatia e respeito.

Anônimo disse...

qual a diferença o motivo de uma cidade prospera e a outra sucumbir acabar em ruínas.
Tudo isto devido ao homem politico que em beneficio próprio constrói ou destrói tudo ao seu redor sem pensar nas consequências para si ou para sociedade, o ser humano é moldado pelo egoismo, faz de tudo para aparecer no topo dos noticiários como herói.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...